sábado, 3 de março de 2012

Conhecendo seus Pontos Fortes e seus Pontos Frágeis


Todos nós desenvolvemos habilidades importantes durante o decorrer de nossa existência. Com o passar dos dias, essas habilidades tornam-se mais evidentes e, quando postas em prática, vamos aprendendo a obter melhor proveito em nossas ações diárias. 
Em uma abordagem central, estamos nos referindo as possibilidades de conseguir sucesso em tudo aquilo que nos propomos a realizar.
Nesse conjunto particular e sequencial de ações é imprescindível enfatizarmos os pontos em que nos sentimos mais seguros, são os Pontos Fortes que chamaremos de “PF” aplicados na prática diária. Quando essas habilidades nos indicam firmeza, de forma clara, observamos uma fluência melhor das atividades, potencializadas em direção ao que queremos. Em razão da ampliação de nossas possibilidades e capacidade para gerenciar com mais segurança e melhor desenvoltura as nossas ações, percebemos evidências e o aumento das vantagens, assim como os benefícios que emergem em nosso favor.

Conhecer e potencializar a execução de atividades ou processo, não só melhora, mas também aumentam as possibilidades de conseguir vantagens e benefícios em nossa árdua luta diária. Na verdade, um PF, é como chamamos uma atividade a qual já fazemos com perfeição.
Pense em uma área de sua vida onde você tem mais facilidade com as coisas, onde tudo acontece com mais tranquilidade. Você vai notar que suas expectativas são melhores, especialmente naquela atividade identificada como algo que você tem paixão em realizar. É por isso que podemos chamar de ponto forte.
Aprimorar o que ainda não fazemos tão bem é desenvolver um Ponto Frágil. Neste caso, é preciso que se estabeleçam competências para transformar pontos fracos em pontos fortes.
Precisamos ter a consciência de que, para se atingir um objetivo, um sonho, é preciso ir devagar – um passo de cada vez.
Não é por acaso que partimos do pressuposto que toda caminhada começa com o primeiro passo. Entretanto, apenas começar, somente com o primeiro passo é muito pouco. É preciso continuar caminhando, mantendo o foco e não desistir jamais, até conseguir o que tanto desejamos. 
O processo poderá se tornar mais fácil, à medida que identificamos alguns avanços. 
Todas as ações devem guardar relação direta com o objetivo a ser alcançado. Isto é, tais ações devem seguir uma cadeia como se formasse uma corrente onde cada elo tem sua importância. 
Um Ponto Forte é um pequeno atalho que podemos encontrar, e, serve de ponto de apoio para o degrau seguinte.
A estas alturas ainda poderemos nos questionar – como vamos identificar nossos Pontos Fortes?
Podemos começar por analisar o que realmente queremos. Em seguida, o que já fazemos muito bem, ou seja, em que nos sentimos seguros ao realizar determinada atividade, assim como o que podemos melhorar ainda mais.
Por fim, deve-se listar todos os Pontos Fortes.  Dessa forma teremos todos eles mapeados.
Uma vez identificado o que queremos, assim como conhecendo os Pontos Fortes, partimos para a etapa seguinte, que é trabalhar ou desenvolver os Pontos Frágeis para torná-los Pontos Fortes (é tentar melhorar o que não fazemos muito bem, ainda).
Os pontos fracos devem ser desenvolvidos. O roteiro a ser seguido é o mesmo indicado para os pontos fortes. Identificar as Oportunidades para Melhorias (OM) e desenvolver estratégias para melhorá-los. Estamos falando da importância de se identificar criteriosamente tudo aquilo que podemos fazer melhor, com um nível de aprimoramento mais elaborado.
Na etapa seguinte, o importante é analisar o cenário global, e ampliar o foco no sentido de reverter uma OM - (Oportunidade para Melhoria) em um PF — Ponto Forte.

Vivemos num ambiente de muitas ameaças, competições, cobranças e ambições acirradas, é um verdadeiro cenário de guerra. Por tudo isso é fundamental que tenhamos uma visão do todo por meio de um olhar crítico envolvendo tudo que circunda nosso sonho. Para esse procedimento o que se tem que fazer é uma verificação, bastante analítica, mediante um questionamento sobre quais as ameaças que poderão impor riscos ao atingimento dos objetivos. Neste caso, o cenário observado tem a ver com as vulnerabilidades as quais nosso plano está sujeito. É neste momento que deve ser dobrada a atenção por meio de uma verificação quanto as possibilidade de algo não dar certo ou não sair conforme planejado.
A grande vantagem de toda essa autoanálise é conseguir a redução dos defeitos e o aumento das virtudes. Outra vantagem importante, no que tange a conhecer os pontos fracos, é que poderemos compensá-los, ou mesmo eliminá-los. 
Em relação aos pontos fortes, o importante é destacá-los.
Dentre os questionamentos mais relevantes citamos:
“Eu preciso ficar atento em que”?
“O que preciso melhorar”?
“Onde devo fazer uma blindagem”?
“Onde os pontos vulneráveis detêm menos recursos em relação aos demais”?
“Quais são minhas fraquezas identificadas pelos outros”?

Jorge Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário